terça-feira, 16 de setembro de 2014

Chima, chimarrão...

O mês de setembro, é muito especial para nós, GAÚCHOS, pois relembramos nossos feitos históricos e comemoramos nossas tradições.
Por isso, a EMEI Paulistinha, programou uma semana repleta de atividades alusivas a Semana Farroupilha. 
Vamos aguardar os lindos trabalhos que serão desenvolvidos e apreciar os que já foram feitos! 


Após ouvir a Hora do conto sobre a Lenda da Erva Mate, a turma do maternal 3 da prof. Vitória Wingert foi aprender um pouco mais sobre o chimarrão e a erva mate.
Puderam sentir o cheiro da erva mate
Aprenderam como preparar o chimarrão










Degustação do mate




Dez mandamentos do chimarrão

  1. NÃO PEÇAS AÇÚCAR NO MATE - O gaúcho aprende desde piazito o por que o chimarrão se chama também mate amargo ou, mais intimamente, amargo apenas. Mas, se tu és dos que vêm de outros pagos, mesmo sabendo poderás achar que é amargo demais e cometer o maior sacrilégio que alguém pode imaginar neste pedaço do Brasil: pedir açúcar. Pode-se pôr na água ervas exóticas, cana, frutas, cocaína, feldspato, dólar etc, mas jamais açúcar. O gaúcho pode ter todos os defeitos do mundo mas não merece ouvir um pedido desses. Portanto, tchê, se o chimarrão te parece amargo demais não hesites: pede uma Coca-Cola com canudinho. Tu vais te sentir bem melhor.
  2. NÃO DIGAS QUE O CHIMARRÃO É ANTI-HIGIÊNICO - Tu podes achar que é anti-higiênico pôr a boca onde todo mundo põe. Claro que é. Só que tu não tens o direito de proferir tamanha blasfêmia em se tratando do chimarrão. Repito: pede uma Coca-Cola com canudinho. O canudo é puro como água de sanga (pode haver coliformes fecais e estafilococos dentro da garrafa, não no canudo).
  3. NÃO DIGAS QUE O MATE ESTÁ QUENTE DEMAIS - Se todos estão chimarreando sem reclamar da temperatura da água, é porque ela é perfeitamente suportável por pessoas normais. Se tu não és uma pessoa normal, assume e não te fresqueies. Se, porém, te julgas perfeitamente igual às demais, faze o seguinte: vai para o Paraguai. Tu vais adorar o chimarrão de lá.
  4. NÃO DEIXES UM MATE PELA METADE - Apesar da grande semelhança que existe entre o chimarrão e o cachimbo da paz, há diferenças fundamentais. Com o cachimbo da paz, cada um dá uma tragada e passa-o adiante. Já o chimarrão, não. Tu deves tomar toda a água servida, até ouvir o ronco de cuia vazia. A propósito, leia logo o mandamento seguinte.
  5. NÃO TE ENVERGONHES DO "RONCO" NO FIM DO MATE - Se, ao acabar o mate, sem querer fizeres a bomba "roncar", não te envergonhes. Está tudo bem, ninguém vai te julgar mal-educado. Este negócio de chupar sem fazer barulho vale para Coca-Cola com canudinho, que tu podes até tomar com o dedinho levantado.
  6. NÃO MEXAS NA BOMBA - A bomba do chimarrão pode muito bem entupir, seja por culpa dela mesma, da erva ou de quem preparou o mate. Se isso acontecer, tens todo o direito de reclamar. Mas, por favor, não mexas na bomba. Fale com quem lhe ofereceu o mate ou com quem lhe passou a cuia. Mas não mexas na bomba, não mexas na bomba e, sobretudo, não mexas na bomba.
  7. NÃO ALTERES A ORDEM EM QUE O MATE É SERVIDO - Roda de chimarrão funciona como cavalo de leiteiro. A cuia passa de mão em mão, sempre na mesma ordem. Para entrar na roda, qualquer hora serve mas, depois de entrar, espera sempre tua vez e não queiras favorecer ninguém, mesmo que seja a mais prendada prenda do Estado.
  8. NÃO "DURMAS" COM A CUIA NA MÃO - Tomar mate solito é um excelente meio de meditar sobre as coisas da vida. Tu mateias sem pressa, matutando, recordando... E, às vezes, te surpreende até imaginando que a cuia não é cuia mas o quente seio moreno daquela chinoca faceira que apareceu no baile do Gaudêncio... Agora, tomar chimarrão numa roda é mui diferente. Aí o fundamental não é meditar e sim integrar-se à roda. Numa roda de chimarrão, tu falas, discutes, ri, xingas, enfim, tu participas de uma comunidade em confraternização. Só que esta tua participação não pode ser levada ao extremo de te fazer esquecer da cuia que está em tua mão. Fala quanto quiseres mas não esqueças de tomar teu mate, que a moçada tá esperando.
  9. NÃO CONDENES O DONO DA CASA POR TOMAR O 1º MATE - Se tu julgas o dono da casa um grosso por preparar o chimarrão e tomar ele próprio o primeiro, saibas que grosso é tu. O pior mate é o primeiro e quem o toma está te prestando um favor.
  10. NÃO DIGAS QUE CHIMARRÃO DÁ CÂNCER NA GARGANTA - Pode até dar. Mas não vai ser tu, que pela primeira vez pegas na cuia, que irás dizer, com ar de entendido, que chimarrão é cancerígeno. Se aceitaste o mate que te ofereceram, toma e esquece o câncer. Se não der para esquecer, faze o seguinte: pede uma Coca-Cola com canudinho, que ela... etc, etc.
Fonte
Livro "Almanaque Tchê", mandamentos criados por Pércio de Moraes Branco. 

Atividades do Maternal 3

A turma do Maternal 3 da Prof. Vitória Wingert, escutou a história "Como pegar uma Estrela" de Oliver Jeffer.


Após uma conversação sobre as estrelas, os alunos desenvolveram a técnica do giz de cera derretido para criarem suas estrelas.

Os alunos ficaram muito empolgados ao fazerem suas estrelas com fogo e também foram bastante cautelosos

Como desenvolver a técnica

Material:
* Giz de cera em várias cores;
* Papel 40 kg ou cartolina;
* Vela acesa.
Técnica:
Encostar o giz de cera ligeiramente na
vela. Derretida a cera, usar o giz
rapidamente sobre o papel, conseguindo-
se um belo efeito em relevo. Com a
prática, o aluno passa do simples pingar
ou riscar, ao trabalho com áreas inteiras.
esta técnica é destinada aos alunos já
bem familiarizados com o trabalho
artístico na escola.




A criança ama tocar os objetos para depois poder reconhecê-los.
Maria Montessori

Em outro momento fizeram telas coletivas, onde puderam desenhar o Universo.


A tarefa do professor é preparar motivações para atividades culturais, num ambiente previamente organizado, e depois se abster de interferir.
Maria Montessori

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Feira de Ciências do município!



       Nos dias 26 e 27 de agosto aconteceu no Ginásio do CEI a 5° semana de Feira de Ciências e Tecnologias, onde os alunos estavam participando. Foi um momento de muito conhecimento e aprendizado para todos que participaram.
          Veja abaixo algumas fotos:









 Parabéns aos nossos pequenos e a turma do JA pela participação na Feira!

SEMANA DO FOLCLORE

SEMANA DO FOLCLORE

     Na semana do dia 18/08 à 22/08 realizamos a semana do Folclore da EMEI Paulistinha. As professoras responsáveis foram a Aldrei e a Lunara, que planejaram uma semana de atividades baseadas em lendas folclóricas gaúchas.
    Conhecemos a lenda do João de barro, passeamos pelo bairro a procura de suas casinhas, após a construímos com argila. Ouvimos também sobre o Quero-quero, confeccionamos uma dobradura de pássaro. Por último conhecemos o Negrinho do pastoreio e seus cavalos, brincamos de acertar o rabo no corpo do animal e contamos com a participação das famílias na confecção de um cavalinho de pau, para alegria das crianças.
       Confira alguns cliques da nossa semana:





















Este foi o primeiro ano em que dedicamos uma Semana Especial ao Folclore e com certeza foi a pioneira de muitas, pois nossos pequenos adoraram!!

Ao infinito e além...

 A turma do maternal 3 da Prof. Vitória Wingert, continua suas descobertas sobre o nosso Universo. Nesta última semana ao chegarmos em nossa sala encontramos uma caixa surpresa no meio da sala, e por ser enfeitada com várias Estrelas e Luas chegamos a conclusão que era um presente que algum astronauta havia nos deixado.

Caixa surpresa deixada pelo nosso amigo Astronauta!
Dentro da caixa foram encontrados dois livros que contam tudinho sobre o espaço. Um deles era em relevo pop up e o outro mostrava o Universo em 3D, e para conseguir enxergar era necessário utilizar o óculos espacial. 
















































Após visualizarem como é o Espaço Sideral, todos saíram para o pátio da escola para voarem com seus foguetes espaciais que foram construídos juntamente com as famílias. Foi diversão garantida desses pequenos astronautas.

Preparação para a contagem regressiva.




10, 09, 08, 07, 06 ,05, 04, 03, 02, 01, Fogo!!


Parabéns as famílias que foram muito criativas ao construírem as naves!!

A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria."  Paulo Freire

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Caça ao Saci

         A turma do Maternal 3, da prof Vitória Wingert está desenvolvendo alguns trabalhos alusivos a Semana do Folclore. Uma das atividades desenvolvidas foi a hora do conto, Os dez Sacinhos. Após a narrativa os alunos aprenderam como se caça o Saci:


1
O melhor jeito de caçar um Saci é com uma peneira de cruzeta. Trata-se de uma peneira comum, só que com um reforço no centro, em forma de cruz


  1. 2
    Depois da peneira, você deve conseguir uma garrafa, uma rolha e uma gaiola. A garrafa servirá para prender o danado. E a gaiola servirá para prender a garrafa! Simples, não é mesmo?










Maternal 3 no mundo da Lua

A turma do maternal 3 da prof. Vitória Wingert,  está trabalhando o  projeto “Maternal 3 no mundo da Lua.”, onde podem explorar alguns aspectos, tanto relacionados ao nosso sistema solar e a via láctea e demais aspectos relacionados ao Universo. A criança na faixa etária dos quatro anos, já começa a compreender melhor o mundo que a cerca, prestando bastante atenção e buscando se inserir no mundo adulto, uma vez que vai adquirindo mais conhecimento do seu meio social através da participação. Por isso nesta fase é importante que os alunos percebam que existem coisas muito maiores fora de sua comunidade, entendendo que moramos no planeta Terra, mas que também existem outros planetas também importantes e mais fatores essenciais para a vida na Terra, como a luz solar e lunar.

Uma das atividades realizadas foi sobre o dia e noite, onde os alunos puderam vivenciar o nosso planeta girando em torno de si mesmo, a parte terrestre que está virada para o Sol recebendo seus raios, está com o dia, e no outro lado do globo é noite.













Outra atividade desenvolvida, foi sobre números e quantidades, onde os alunos deveriam colocar a quantidade de elementos no número correspondente.

Em outra atividade realizada os alunos tiveram de desenhar a quantidade de elementos solicitados.











“A organização do comportamento, com a criação de um determinado contexto, que prepara o homem para a percepção ou atividade. Se não fosse pela função do contexto, o homem não seria capaz de perceber em ordem alguma os estímulos provindos do meio ambiente, ou de distinguir os mais importantes entre eles; não seria capaz de perceber em ordem alguma estímulos provindos do meio ambiente, ou de distinguir os mais importantes entre eles; não seria capaz de organizar suas reações num sistema correspondente, discernindo as ações mais importantes;”
VYGOTSKY- A história do comportamento, do macaco primitivo a criança. Porto Alegre, 1996

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Bolachas para o papai!



Muita diversão e gostosura na turma do maternal 1.
Dando continuidade ao projeto dos sentidos a professora Aldrei realizou o momento da culinária com os alunos, onde fizeram bolachas de Maizena. Aproveitando o dias dos pais que estava próximo, os pequenos entregaram aos pais na festa surpresa, como um mimo para seu dia tão especial.
Receita: 1 xícara de farinha de trigo
              4 xícaras de maisena
              1 xícara de açúcar
              2 xícaras de margarina